Por
Gazeta Paços de Ferreira

24/03/2023, 0:00 h

571

Vereador apresenta situação económica e financeira a 31/12/2022

Munícipio Destaque A Voz da Autarquia

A VOZ DA AUTARQUIA

Verifica-se uma diminuição da dívida total em 3 milhões de euros, relativamente a 31/12/2021 (41,1 milhões de euros). Mantendo-se assim, a tendência para a redução da dívida total do município, que se verifica desde 2014

Joaquim Sousa

Vereador apresenta situação económica e financeira a 31/12/2022


Dados provisórios, tendo em consideração que o ano económico de 2022 ainda não se encontra fechado.
A divida total a 31/12/2022, é de 38,1 milhões de euros (ESTE VALOR ENGLOBA A CONTRIBUIÇÃO PARA O FAM, AS
OPERAÇÕES DE TESOURARIA E OS EMPRÉSTIMOS DO BEI).

Verifica-se uma diminuição da dívida total em 3 milhões de euros, relativamente a 31/12/2021 (41,1 milhões de euros). Mantendo-se assim, a tendência para a redução da dívida total do município, que se verifica desde 2014

Excluindo a contribuição para o FAM, as operações de tesouraria e os empréstimos do BEI, o endividamento do município é de 35,8 milhões de euros. Assim, o rácio do endividamento, no ano de 2022 é de 136%, da média da receita corrente líquida
cobrada nos últimos três anos cumprindo, deste modo, o limite legal do endividamento do município.

Para o ano de 2023, já se pode calcular e fixar o limite legal do endividamento do município que é de 43.046.971 euros, tendo em consideração a média da receita corrente líquida cobrada nos anos de 2020, 2021 e 2022.

Deste modo, o município fica com uma capacidade de endividamento que rondará os 7 milhões de euros.


Não há pagamentos em atraso.

Pagamento a pronto de todas as despesas faturadas.


RESUMO DA EXECUÇÃO ORÇAMENTAL ATÉ 12/2022
A receita corrente orçamentada foi de 32.423.719,00 euros e cobrada 31.941.185,58
euros, com uma taxa de execução de 98,005%.

A receita capital orçamentada foi de 2.695.228,00 euros e cobrada 2.133.726,46 euros, com uma taxa de execução
de 72,000%.

ASSINE GAZETA DE PAÇOS DE FERREIRA

Outras receitas orçamentadas foi de 2.575.667,31 euros e cobrada 2.575.390,80 euros, com uma taxa de execução de 99,989%.

O total orçamentado foi de 37.694.614,31 euros e cobrada 36.650.302,84 euros, com uma taxa de execução de 96,281%.

A despesa corrente orçamentada foi de 28.947.303,50 euros e paga 26.503.502,67 euros, com uma taxa de execução de 91,558%.

A despesa capital orçamentada foi de 8.747.310,81 euros e paga 8.107.665,50 euros, com uma taxa de execução de
92,688%.

O total orçamentado foi de 37.694.614,31 euros e paga 34.611.168,17 euros, com uma taxa de execução de 91,820%.

Entre a receita corrente cobrada e a despesa corrente paga, apurou-se uma poupança corrente de 3,5 milhões de euros, que serviu para financiar d despesa de capital.

Opinião

Opinião

As Obras, o Progresso e a Necessidade de Melhoria: Um Desabafo

25/07/2024

Opinião

DE CABEÇA ERGUIDA

24/07/2024

Opinião

HOMENAGENS E HOMENAGEADOS

24/07/2024

Opinião

Os problemas da Inteligência Artificial

23/07/2024