Por
Gazeta Paços de Ferreira

01/06/2023, 0:00 h

356

A NOVA ORDEM INTERNACIONAL

Eduardo Costa Opinião

OPINIÃO INTERNACIONAL

Vamos conseguir ter boas relações com gregos e troianos? A União Europeia tem dado sinais de pretender isso

Com o desenrolar da invasão russa da Ucrânia, regista-se uma aceleração da definição de quem está com quem.

Nitidamente, começam a surgir sinais inequívocas de como vamos viver no futuro mundo global: dois blocos, um liderado pela China e outro pelos Estados Unidos. A China tem no seu bloco como país de referência a Rússia. Os EUA tem na sua órbita a União Europeia e os aliados da NATO, tendo na Ásia três aliados tradicionais de referência: Japão, Coreia do Sul e Austrália.

Há uma diferença substancial entre os dois novos blocos, em perspetiva de uma nova “guerra fria”: de um lado, países com regimes ditatoriais; do outro lado, as democracias tradicionais. A história diz-nos que as ditaduras não duram para sempre. Com os novos meios comunicacionais globais cada vez é mais difícil controlar todo um povo.

 

ASSINE GAZETA DE PAÇOS DE FERREIRA

Mas, as democracias também estão ameaçadas por não estarem a saber introduzir modelos de governo que obtenham a aprovação inequívoca dos seus cidadãos. Cresce um sentimento de desconfiança e descrédito. É preciso fazer algo para inverter esse sentimento. Mas ainda não sabemos como o fazer.

O que, também, nos deve alertar é a elevada dependência dos países que constituem a União Europeia dos fornecimentos dos países do bloco China-Rússia. A dependência do gás russo fez e faz estragos à nossa economia. E estamos cada vez mais dependentes dos fornecimentos chineses. 

Vamos conseguir ter boas relações com gregos e troianos? A União Europeia tem dado sinais de pretender isso. Terá capacidade para ser uma terceira potencia?

EDUARDO COSTA, jornalista, presidente da Associação Nacional da Imprensa

 

 

 

Opinião

Opinião

“A NOVA DEPENDÊNCIA DO SÉCULO”

12/07/2024

Opinião

A Rotunda do Mercadona e a falta de Civismo

12/07/2024

Opinião

Serviços públicos essenciais: consumos mínimos ‘mascarados’?

11/07/2024

Opinião

Na troca de brindes: direito ou favor? Seja lá o que for, não se ‘baralhe’… o consumidor

11/07/2024