Por
Gazeta Paços de Ferreira

19/11/2023, 0:00 h

57

Águias Eiriz, 1 - Valonguense, 3

Desporto Futebol CD ÀGUIAS DE EIRIZ

Divisão Elite Pro Nacional

Águias de Eiriz "oferece" três pontos ao Valonguense

Jogo em Eiriz.
Árbitro: Luís Ribeiro auxiliado por Nélson Fernandes e Diogo Nogueira.
Águias Eiriz: Nogueira, Timóteo, Hélder, Bruno Santos, Fábio, Vilela, Sousa, Leo, Lobo, Reguenga e Luisinho.
Suplentes: Edú, Pedro Joel, Artur, Ailson, Nani, Fonseca e Machado.
Treinador: Domingos Cristiano.
Valonguense: Miguel Silva, Serginho, Fonseca, Dio, João Alves, Lucas, Hugo, Fábio Fonseca, Mourão, Pimenta e Rafa.
Suplentes: Ivo, Mika, Nivaldo, Rodrigo, Ribeiro, David e Migas.
Treinador: Jorge Barbosa.
Ao intervalo: 0-0.
Marcadores: Pimenta (53'), Vilela (70'), Nivaldo (75') e Rodrigo (90'+6').

Na primeira parte as equipas encaixaram-se e não conseguiram criar oportunidades de golo, tendo o jogo decorrido maioritariamente a meio campo. Foi preciso esperar pelo último minuto para assistir a uma situação de perigo, ataque rápido de Luisinho que descobre Reguenga na grande área, mas o remate sai ao lado da baliza defendida por Miguel Silva.
Na segunda parte o jogo decorria na mesma toada da primeira parte até que aos 53' a defensiva do Águias de Eiriz "oferece" o golo ao Valonguense, numa jogada perfeitamente controlada, oferece a bola a Pimenta que não se faz rogado e executa um chapéu a Nogueira.
O Águias de Eiriz reage ao golo, mas é o Valonguense que está perto de fazer o segundo, aos 66', Rafa entra na área e remata para boa defesa de Nogueira.
Aos 67' cruzamento de Sousa e Reguenga desvia de cabeça mas ao lado.
Aos 70' canto curto e Timóteo cruza para o desvio de cabeça de Vilela para o fundo da baliza, a fazer o 1-1.
A defensiva do Águias de Eiriz estava muito intranquila e aos 74' Fonseca quase marca num pontapé de canto.
Aos 75' livre da linha do meio campo, bola colocada na área, Nogueira sai mal da baliza e a bola sobra para  Nivaldo que facilmente faz o 1-2.
A equipa de Eiriz balanceou-se para o ataque à procura do empate e esteve perto de o conseguir aos 83', mas Bruno Santos não conseguiu a emenda de cabeça na marcação de um pontapé de canto.
Aos 90'+6' mais uma "oferta" da equipa da casa, Nogueira faz uma defesa incompleta, o defesa na tentativa de aliviar a bola, coloca-a nos pés de Nivaldo, que passa a Rodrigo, completamente isolado, que perante a baliza deserta, facilmente faz o 1-3.

 

Figura do Jogo
Vilela

Jogador muito batalhador, foi peça fundamental no equilíbrio da sua equipa, tanto a recuperar bolas no meio campo, como também a municiar as jogadas de ataque da sua equipa e marcou o golo da sua equipa.

Opinião

Opinião

O sindicalismo policial e o direito à greve

19/05/2024

Opinião

CXXV – A Lei sobre Política Criminal (x)

19/05/2024

Opinião

A História do Terreno do SC Freamunde

18/05/2024

Opinião

“Já se pode tomar um fôlego, padre Martins”

18/05/2024