Se em janeiro mostrava preocupação com um contrato de adjudicação entre a Câmara Municipal de Paços de Ferreira e a empresa Vale do Ave Transportes, Lda para aquisição de autocarros, hoje essa preocupação é ainda maior!
É público que o atual executivo da Câmara Municipal, de maioria PS, adquiriu recentemente 15 autocarros, pelo preço de 252.600,00€. Sabia-se ainda que os veículos haviam sido adquiridos a uma empresa que substituiu a frota, já antiga e desgastada. Mas por obra do acaso, e depois das dúvidas levantadas pelo PSD, tenta-se disfarçar a situação. E eis que surgem os autocarros oriundos da Suécia, inexplicavelmente comprados pela vencedora do concurso (preço barato) à empresa Sueca que perdeu o concurso porque tinha o preço mais caro.
Ainda assim, este executivo PS entendeu que esses 15 autocarros garantem todas as condições de segurança rodoviária e ambientais para circularem nas nossas estradas.
O que não sabíamos é que será preciso investir ainda mais nestes autocarros, para garantir que eles funcionem, através da “aquisição de serviços de verificação e preparação de viaturas de transporte de passageiros”, somando mais 74.928,60 euros, ou seja, cerca de 30% do valor da aquisição, sobrecarregando ainda mais os bolsos dos nossos concidadãos, num investimento em equipamentos que passaram os últimos anos a circular em cima da neve e sal!
Não pode ser este o caminho!
O PSD Paços de Ferreira é a favor dos transportes gratuitos e de acesso a todos os concidadãos do nosso concelho, onde se incluem, naturalmente, os jovens estudantes.
Mas, à semelhança da grande maioria dos concelhos do nosso país, este serviço deve ser disponibilizado através de sistema de transporte municipal ou privado, mas que garanta a segurança e o custo justo para o município, evitando as elevadas despesas de manutenção, encargos e riscos que este tipo de transporte acarreta.

Alexandre Costa, Candidato PSD à Câmara Municipal

ASSINE E DIVULGUE GAZETA DE PAÇOS DE FERREIRA

ASSINATURA ANUAL DA EDIÇÃO ELECTRÓNICA – 10 EUROS

ASSINATURA ANUAL DA EDIÇÃO IMPRESSA (COM ACESSO GRATUITO À EDIÇÃO ELECTRÓNICA) 20 EUROS